Homenagem ao Saponga, 30/4 no Zoom

Na manhã do dia 30 de abril será realizado um evento online em memória de nosso querido professor, pesquisador e colega Sebastião (Saponga) Firmo, que faleceu no dia 26 de novembro de 2020 vítima da Covid19. Constará de quatro palestras e um espaço aberto para homenagens.

O evento é aberto e acontecerá na plataforma Zoom. Favor se inscrever aqui . Atenção: o link de acesso ao Zoom não será enviado no fim da inscrição. Ele será enviado ao e-mail cadastrado, no dia 29 de abril.

Programa:

HorárioPalestra
9:00-9:40Patrice Le Calvez (IMJ-Paris Rive Gauche)
Conservative surface homeomorphisms with finitely many periodic points.
9:50-10:30Javier Ribón (UFF)
Fixed points of nilpotent actions on surfaces of negative Euler characteristic.
10:30-10:50Coffee Break
10:50-11:30Christian Bonatti (CNRS/U. Bourgogne)
Pontos fixos em comum  para difeomorfismos de superfícies que comutam: existência e localização.
11:40-12:20Paul Schweitzer (PUC-RJ)
Vida e obra do Saponga.
12:30–Espaço aberto para homenagens.

O Espaço aberto para homenagens aceita propostas de depoimentos, documentos, fotos, vídeos, etc. Pode submeter a sua junto ao formulário de inscrição aqui até o dia 15 de abril de 2021. Também pode usar o espaço ‘Comentário’ embaixo para deixar algum depoimento seja para este site ou para o espaço para homenagens (indicar se preferir que seja só para um deles).

Sebastião (Saponga) Antunes Firmo se graduou em Física na Faculdade  de Filosofia Ciências e Letras de Rio Claro, no Estado de São Paulo em  1972. Enquanto trabalhava como professor na PUC-Rio, fez o mestrado e o doutorado nessa instituição. Após três anos de  pós-doutorado em várias universidades da França, voltou a atuar na  PUC-Rio até 1992, quando ingressou como professor na Universidade  Federal Fluminense (UFF). Desde o início, Saponga foi muito atuante em  ensino e pesquisa, se tornando uma referência no Instituto de Matemática  e Estatística (IME). Em 2015, tornou-se professor titular da UFF. Ele foi, ainda, um dos artífices da transformação pela qual o IME passou nos  últimos vinte anos. 
Por iniciativa própria, criou vínculos com a  comunidade matemática e desenvolveu atividades que atraíram para o  Instituto jovens professores de alta qualificação. Foi vice-coordenador  da Pós-Graduação em Matemática no momento em que esta criava o seu  Programa de Doutorado e, entre 2009 e 2013, foi o seu coordenador. Nesse  período, o Programa subiu de quatro para cinco no conceito CAPES,  consolidando o Curso de Doutorado em Matemática. Além disso, em 2011,  Saponga trouxe para a UFF o Programa de Pós-Graduação PROFMAT, sendo o  seu coordenador até 2018. Este foi um programa em Rede Nacional que  contribuiu para a melhoria da qualidade do ensino de professores do  Ensino Médio em nosso estado. Saponga também fez parte do Conselho  Fiscal (2011-2018) e do Conselho Diretor (2019-2020) da Sociedade  Brasileira de Matemática. 
Na pesquisa, atuava, principalmente, na área  de Sistemas Dinâmicos, mais especificamente em Dinâmica Topológica e  Ações de Grupos. Visando criar equipes de pesquisadores, estabeleceu  pontes com o IMPA, a USP e universidades francesas, o que deu origem a  trabalhos relevantes na área a qual se dedicava. 
Saponga foi um  professor marcante e dedicado, um excelente pesquisador e um colega  inspirador. Sem dúvida, deixou um legado importante no mundo da  matemática, na UFF e nos corações de alunos, pesquisadores e professores  que tiveram a oportunidade de compartilhar atividades acadêmicas com  ele.

Aguardaremos a volta às atividades presenciais para dedicar o próximo encontro TopDin ao Saponga. Ele foi o promotor deste encontro nas suas primeiras dez edições.

Comissão organizadora:

  • Andrés Koropecki (UFF)
  • Begoña Alarcón (UFF)
  • Gabriel Calsamiglia (UFF)

6 comentários

  1. Conheci o Saponga em 2002. A partir desse momento estivemos trabalhando muito próximos, almoçavamos sempre juntos e se tornou um amigo querido. Em 2005 ele me pediu ajuda para encontrar um apartamento para ele morar. Levei um susto. Visitamos alguns apartamentos e ele foi morar na Rua Senador Simonsen, Jardim Botânico. Começamos a namorar, e descobri um homem apaixonante. Tantos sambas, danças, jantares e conversas divertidas. Foram 15 anos de muita alegria e leveza, sim, ele dizia que nosso amor era leve e doce. A família Firmo é minha família de alma e coração, amo cada um profundamente.
    Sebastião, meu Sapo Lindo, você faz parte de mim para sempre.
    Te amo

  2. Conheci o Saponga lá pros idos de 2005. Foi muito carinhoso e atencioso comigo, coisa que, confesso, eu não estava acostumado. Com o passar dos anos, passei a ter um afeto muito grande por ele.
    Eu aguardava ansioso a chegada de meados de fevereiro, época de ir pra Niterói e ficar hospedado no “cinco estrelas”, como ele gostava de dizer, pra participar do TopDin.
    Aquilo me surpreendia um pouco, porque nao erámos íntimos, de contato frequente, mas a sua presença me deixava relaxado e feliz, como a de poucas pessoas com quem convivi. Tenho certeza de que ele faz, e fará muita falta a todos que em algum momento estiveram ao seu lado.
    Se em alguns poucos instantes da vida, consigo ter leveza e uma espécie de otimismo juvenil, isso se deve, em grande parte, à imagem que eu tinha dele.

  3. Conheci Saponga pelo ano de 2008, após o término do doutorado, e rapidamente passei a admirá-lo pela energia positiva e empenho com que trabalhava para a UFF. E a generosidade, para que os jovens matemáticos tivessem um espaço para falar – na sua UFF – é algo que me marcou imenso. Sempre o lembrarei assim, humano, gentil, tranquilo, alegre e determinado!

  4. Conheci Saponga na época que fui funcionária na Pós Graduação em Matemática da UFF.
    Ele gostava de ensinar mesmo fora da sala de aula. Fui beneficiada por isto. Incentivada e orientada por ele aprendi uma linguagem matemática para símbolos que fariam parte do material de divulgação dos inúmeros eventos que ele organizava.
    Ele era metódico nos detalhes, muitas vezes, refiz meu trabalho por não estar totalmente perfeito. Entenda -se que um espaço a mais entre as palavras, era erro! rs
    Com ele, também, me familiarizei com as agências de fomento FAPERJ, FINEP, CAPES e CNPq através de prestações de contas, fomentos e outras demandas.
    Mudei de setor e, com certeza, meu trabalho foi fácil por conta da base que adquiri no GPM.
    Quis a vida que ele se casasse com minha ex cunhada ( não sei se existe ex cunhada rs) e voltamos a ter algum contato. Passamos algumas festas de final de ano juntos. Sempre acolhedor!
    Foi a ele que recorri para uma orientação para repassar para meu filho que estava estudando no exterior. O direcionamento foi importante, hj, meu filho é cientista em uma Instituição de Pesquisa no exterior. Hoje escrevendo, não sei se lhe agradeci o suficiente!
    Com uma convivência para além da UFF, descobrimos um ponto em comum, as plantas!
    E quis, novamente a vida, que eu herdasse algumas ( muitas) plantas dele!
    Sabem, neste contexto que estamos, poucas coisas são capazes de nos auxiliar neste momento. Penso eu que o amor, de uma forma ampla a familiares e amigos, a música e as plantas são uns dos dispositivos para nós manter bem mentalmente.
    Então, com muito carinho e cuidado, estou guardiã de suas plantas. E agradeço muito por isto, obrigada!

  5. Conheci o Professor Saponga quando eu ainda começava o Mestrado em 2001. Depois disso participei em diversos eventos da UFF. Assim que terminei o Doutorado, ele me convidou para o TopDin em 2017. Ele sempre foi muito amigável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *